Como fazer um plano de ensino e plano de aula

Planejamento é fundamental para tudo o que pretendemos fazer. Sem planejar, dificilmente será possível alcançar um resultado satisfatório em qualquer situação. E no ensino não é diferente.
Para tornar o ensino mais homogêneo e o processo de aprendizagem eficaz, o docente tem ao seu dispor duas ferramentas muito importantes: o plano de ensino e o plano de aula. No post de hoje, daremos mais detalhes sobre cada uma dessas ferramentas e saberemos como elas podem contribuir para nortear o trabalho dos professores.

Plano de Ensino: o que é, para quê serve e como montar?

O plano de ensino é um planejamento global da disciplina. Ele contém, de uma forma geral, tudo aquilo que será ensinado no decorrer do ano ou do curso. Apresenta informações como a disciplina a ser lecionada, a ementa, objetivo, qual o conteúdo a ser ministrado, a metodologia de ensino, avaliação e bibliografia.
O plano de ensino serve para nortear o trabalho do docente e ajudará os alunos a desenvolverem melhor a disciplina ministrada.
Não existe um modelo único de plano a ser seguido. Abaixo, detalharemos os principais tópicos de um modelo básico. Confira:
  • Dados gerais: instituição de ensino, nome da disciplina, curso, carga horária e nome do professor.
  • Ementa da disciplina: nessa etapa, são informados os tópicos relacionados ao conteúdo da disciplina, dentro da carga horária proposta. É importante que o conteúdo informado esteja em consonância com o projeto político pedagógico do respectivo curso. As informações devem estar de forma bem objetiva e simplificada. E não é permitido alterar a ementa sem que a coordenação aprove previamente.
  • Objetivos da disciplina: podem ser divididos em objetivo geral e objetivo específico. É a partir dos objetivos que os outros componentes serão determinados. Devem ser escritos com os verbos na voz ativa. E compreendem aquilo que os alunos irão conhecer e avaliar no decorrer do estudo da disciplina.
  • Conteúdo programático: descreve os conteúdos discriminados na ementa. Precisa ser estruturado em módulos, de forma que os assuntos gerais e específicos a serem ministrados na disciplina sejam devidamente detalhados.
  • Metodologia: são as ferramentas e os métodos que os docentes utilizarão para ajudar no desenvolvimento da aprendizagem. Quais recursos, procedimentos e materiais serão usados para ajudar nas aulas. Além das estratégias para ensinar, as dinâmicas, e etc. O professor precisa discriminar qual metodologia usará para conseguir alcançar o objetivo da disciplina.
  • Avaliação: no plano de aula também deve estar informado como será o processo de avaliação, quais as formas de avaliação, critérios adotados, e demais informações necessárias para que o aluno tenha conhecimento de como ele será avaliado.
  • Referências: onde devem constar as fontes de pesquisa relacionadas com o conteúdo ministrado na sala, para que os alunos possam se aprofundar nos temas.

Plano de Aula: o que é, para quê serve e como montar?

O plano de aula é como um guia usado pelo professor para que ele possa ministrar as aulas, uma a uma. É o planejamento da aula em si. Ele torna as aulas menos monótomas e aumentam as chances de o professor obter êxito no processo de aprendizagem.
O plano de aula precisa ser atualizado com frequência, e ser flexível, permitindo que todo e qualquer imprevisto que possa ocorrer na sala de aula possa ser contornado facilmente.
No plano de aula devem constar as descrições específicas de tudo aquilo que será ministrado em sala. Deve ser composto do tema, dos objetivos, conteúdo, duração, metodologia e a forma de avaliação.
  • Tema: o tema deve ser interessante, para atrair a atenção do aluno. E deve estar ligado ao conteúdo.
  • Objetivos: consistem na finalidade de ensinar. O que o professor pretende transmitir para os seus alunos a partir do conteúdo proposto.
  • Conteúdo: após definidos os objetivos, é hora de pensar no conteúdo. Ele precisa ser interessante o suficiente para atrair e manter a atenção dos alunos. Deve estar diretamente ligado ao tema pré-estabelecido.
  • Duração:é importante que cada conteúdo tenha uma estimativa de duração, para que o professor não faça confusão.
  • Metodologia: esta compreende os recursos que o professor usará para conseguir lecionar o conteúdo e alcançar o objetivo final, que é transmitir conhecimento aos alunos.
  • Avaliação: por fim, é a chegada a hora da avaliação. É através dela que o professor saberá se alcançou ou não o seu objetivo principal, que é a aprendizagem da turma.
Para oferecer aos alunos um ensino de qualidade, o professor deve sim preparar um plano de aula.  Ele é muito eficaz quando se trata de realizar uma aula objetiva, de qualidade e com um conteúdo relevante, que irá, de fato, contribuir para que os alunos aprendam o conteúdo de proposto.
Vale ressaltar que um bom plano de aula deve considerar as condições dos alunos e todas as suas possíveis dificuldades. Além de ser claro e objetivo.
Se essas dicas foram úteis, ou se você acha que faltaram informações, deixe aqui o seu comentário. Queremos muito saber a sua opinião.

Nenhum comentário

Postar um comentário